transporte coletivo

Bilhetagem Eletrônica da DATAPROM amplia acesso ao transporte coletivo

Os Sistemas de Bilhetagem Eletrônica da DATAPROM realizaram mais de 65 milhões de transações mensais nos sistemas de transporte coletivo de 13 municípios brasileiros e até na Colômbia

Os Sistemas de Bilhetagem Eletrônica implementados pela DATAPROM no transporte coletivo realizaram, em julho, mais de 65 milhões de transações em linhas do transporte coletivo de municípios de todas as regiões brasileiras e até na Colômbia.

Atualmente, a DATAPROM fornece a bilhetagem eletrônica em 13 municípios brasileiros e em Cartagena, sendo responsáveis por receber, controlar e gerenciar os pagamentos realizados em uma frota de mais 5 mil veículos. Veja mapa abaixo.

A bilhetagem eletrônica é um conjunto de equipamento (validador)e software responsável por automatizar o pagamento da passagem. É no validador que é feita a leitura das informações do cartão, como créditos e perfil de uso (por exemplo, se tem gratuidade ou não) e gravada a nova informação após o passageiro passar pela catraca.

Com a digitalização da cobrança, a circulação de dinheiro dentro do ônibus é reduzida, o embarque é mais ágil e a gestão dos recursos se torna mais transparente e auditável.

Além disso, o SBE permite incorporar à operação tarifas diferenciadas de acordo com o uso. Um exemplo disso é a integração temporal. Nesse modelo, o operador fomenta o uso do transporte coletivo ao conceder benefícios tarifários baseados no tempo e volume de uso.

Outra vantagem para o passageiro e para o operador é o controle do uso das gratuidades através da Biometria Facial. De acordo com a Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano, o peso médio das gratuidades na tarifa gira em torno de 18% dos custos do setor. O uso indevido, portanto, encarece a tarifa cobrada dos demais clientes do sistema.

MEIOS DE PAGAMENTO

Os smart cards são a versão mais comum e conhecida para pagamento da tarifa onde há o sistema de bilhetagem eletrônica. Mas esse cenário vem ganhando novos atores. Cada vez mais os cidadãos estão se adaptando a pagar suas contas por meios digitais, seja por meio de transferências eletrônicas, como o PIX, cartões bancários de crédito e débito ou mesmo carteiras digitais.

Segundo a consultoria de negócios Pwc Brasil, os volumes globais de pagamentos feitos de forma digital deverão aumentar em mais de 80% até 2025, com as transações passando de cerca de um trilhão para quase 1,9 trilhão por ano. Até 2030, esse total deve atingir 3 trilhões.

Conectada a essa tendência, a DATAPROM integrou ao seu Sistema de Bilhetagem Eletrônica soluções de pagamento com cartões de débito e crédito, celulares e relógios habilitados com a tecnologia NFC (Near Field Communication). Em Curitiba, logo nos três primeiros meses de operação, a nova modalidade já respondia por quase 5% de todos os pagamentos no sistema de transporte.

VALIDADORES

O validador Val7 da DATAPROM dispõem de leitura e escrita em cartões sem contato, e o equipamento conta com vantagens como câmeras e software integrados para a biometria facial. Ele também é um computador de bordo, capaz de processar todas as informações da operação e levá-las em tempo real aos motoristas e central de operação.

ITS

O SBE, como é conhecido, é um sistema digital de cobrança e controle da tarifa e compõe as soluções de Sistema Inteligente de Transporte ((Intelligent Transportation Systems – ITS, na sigla em inglês) da DATAPROM. Além dele, dispomos de um gerenciamento de frota completa, com informações em tempo real para operador e passageiros, e a prioridade seletiva inteligente em cruzamentos semaforizados. Ferramentas que tornam a gestão e a operação do transporte coletivo mais inteligente, eficiente e acessível nas cidades.

 

O que você achou deste conteúdo?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 9

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.