Cidades Inteligentes

IoT prepara revolução na segurança automotiva. Conheça as novidades!

Uma das metas da ONU é reduzir os acidentes de trânsito. E a Internet das Coisas (IoT) e o avanço das tecnologias embarcadas nos veículos serão importantes aliados nesse processo.

A segurança viária é um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. A Organizações das Nações Unidas tem como meta reduzir em 50% os acidentes de trânsito até 2030. E a Internet das Coisas (IoT) e o avanço das tecnologias embarcadas nos veículos podem ser importantes aliados para as cidades atingirem esse objetivo.

Com os carros cada vez mais conectados, as ações corretivas e preventivas tendem a ser mais eficazes devido ao volume de dados que serão gerados. Por exemplo: um padrão de condução em determinado trecho de uma via poderá gerar estatísticas que levarão o gestor do trânsito a agir naquele ponto, seja com instalação de instrumentos de controle de velocidade ou revisão geométrica da pista. Sempre com o objetivo de levar mais segurança aos condutores e passageiros.

Outra vantagem são as câmeras embarcadas.

A Exposec 2022, feira promovida neste mês em São Paulo, trouxe exemplos de sensores que detectam com maior precisão o nível de cansaço de motoristas, bem como distrações como por exemplo uso de celular ou cigarro ao volante.

Essas câmeras também detêm a chamada tecnologia ADAS (Sistema Avançado de Assistência ao Motorista), que é um sensor de pista para identificar riscos ao motorista, como alertas de probabilidade de colisão com veículo a frente e de presença de pedestres ou até mesmo de mudança de faixa.

Empresas de tecnologia multinacionais têm apostado nesse mercado. Soluções inteligentes como radares de imagem em 4D, displays de realidade aumentada (HUDs) e plataformas de direção inteligente e autônoma estão entre as iniciativas para facilitar a vida do motorista e permitir que a tecnologia o auxilie na condução segura dos veículos.

De acordo com previsão realizada pela Business Insider Intelligence, a produção de carros conectados deve aumentar de 33 milhões de unidades em 2017 para mais de 77 milhões em 2025 – alta de 133% em 8 anos.

Direção (quase) autônoma

A realidade aumentada é uma das apostadas dessas empresas e das próprias montadoras nesse setor. Alguns modelos da Volkswagen, por exemplo, já têm saído de fábrica com câmeras que formam o desenho da pista no para-brisa do veículo, e ajustam a direção de forma autônoma caso o veículo saia daquele traçado.

A partir da marcação de uma distância padrão de segurança, esses sensores também podem acelerar e desacelerar o veículo de acordo com a proximidade de obstáculos a frente – até mesmo outros automóveis ou motos.

Comunicação com a infraestrutura – Sistema V2I

Todas essas novidades embarcadas apontam para um futuro de conectividade dos veículos com os sistemas de inteligência de infraestrutura já instalados nas cidades – o chamado vehicle-to-infrastructure. A DATAPROM, por exemplo, desenvolve e implanta soluções que geram dados dentro do chamado ‘BIG DATA’. Essas informações, em um futuro não muito distante, irão dialogar com os dados captados e gerados pelos veículos.

Nossas soluções, por exemplo, já adaptam de forma autônoma ou com micro ajustes em tempo real os ciclos semafóricos, de modo a priorizar as vias com maior demanda sem a necessidade de intervenção humana no local. Esse é apenas um dos exemplos de alta tecnologia empregada pela DATAPROM. E o avanço dos sistemas inteligentes dos carros aponta para um futuro cada vez mais conectado e seguro.

O que você achou deste conteúdo?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.